Gustavo Soares

Gustavo Soares
Gustavo Soares (nascido em Brasília 18 de julho de 1981) cresceu em São Paulo capital. É designer e consultor especializado em Tipografia.

Mestre em Information Design pela Universidade de Reading, Inglaterra, e Mestre em Desenho de Tipos pela Koninklijke Academie van Beeldende Kunsten (MA Type and Media) na KABK, Holanda. [1]

Biografia

Formado em Comunicação Social pela ESPM em 2003. É durante o período da faculdade que Gustavo se interessa pelo trabalho de [David de Carson], e por criação de revistas.

Atraído pela área de Design Gráfico e com objetivo de trabalhar com editoriais, Gustavo opta por realizar na época, o recente curso de Design na Miami Ad School. Nesse período como aluno, tem a oportunidade de ter contato com os designers Margot Takeda, Bill Martinez, Luciano Cardinalli e Fernanda Martins. Os quais considera de suma importância, pelo fato de serem "responsáveis pela sua iniciação tipográfica". [2] Sua trajetória na área de Type design começa no mercado editorial. No início o objetivo era chamar a atenção na época do diretor de arte da Super Interessante Alceu Nunes, seu professor. E no trabalho final destinado a sua matéria, desperta o interesse de Saulo Ribas, então diretor de arte do Núcleo de Edições Customizadas da Editora Abril - que o convida para participar de um projeto, o qual era uma proposta de uma revista do fundo de previdência do Banco do Brasil. Todavia nesse período na atuação de editoriais, pode aprender muito de macro e micro tipografia com o Saulo, e também aproximou mais de Alceu Nunes, no que contribuiu muito para sua formação profissional, segundo o próprio Gustavo Soares.

Projetos como: História do Rock, História do Rock Brasileiro e, principalmente na extinta revista Bizz, favoreceram nesse crescimento.

Em 2006 Gustavo deixa a Editora Abril e viaja para a Europa, passando um período em Londres, a princípio para estudar inglês.

No entanto, decide saber mais sobre a Universidade de Reading, inspirado por Crystian Cruz, - que tinha conhecido quando era diretor da arte da Placar. Crystian falou sobre a universidade e o curso de Type Design.

Inicialmente, durante uma curta entrevista com Paul Stiff, fica fascinado pela proposta realiza o mestrado de Information Design.

Ainda em Londres redesenhou a Jungle Drums Magazine e produziu materiais para a ST. Bride Library. [3]

Mas durante o curso, se aproxima cada vez mais do mestrado em Type Design, até por ser o forte da Reading e por considerar improvável não vir a se interessar pelo assunto. Frequentava as aulas, desenhava letras, apenas para fazer parte daquele contexto.

Gustavo resolve dar continuidade aos seus estudos se inscrevendo na pós graduação de Type Media da KABK em Haia na Holanda; interesse que surgiu ainda quando frequentava as aulas em Reading.

Essa passagem pela Holanda período da realização de seu mestrado, fez muita diferença para Gustavo, impressionado pela didática dos professores na KABK, Gustavo pode aprender muito mais do que imaginava.

Tipografia

POCKET

Como seu projeto de conclusão de curso do mestrado, na KABK, inicialmente pensado para o tema de sinalização - algo que já pretendia antes de iniciar o curso, Gustavo procura conhecer melhor os aspectos técnicos e estéticos da tipografia, como anatomia das letras, peso, contraste, etc. Tal estudo proporciona um novo direcionamento do projeto, e surge a ideia de construir uma fonte de texto para leitura longa e impressão em papel de baixa qualidade, para tamanhos entre 7 e 10 pontos destinada a pocketbooks - batizada de Pocket.

Em entrevista cedida à revista on line Wide, Gustavo descreve essa construção:

"(...) Quando se começa a desenhar letras, é fundamental entender a relação que existe entre os traços finos e grossos (contraste) e, sobretudo, como esses contrastes se formam. Fiquei fascinado. Queria produzir uma fonte para livro, levemente condensada e que fosse mais escura na página seguindo a formação de contraste da pena de ponta larga." [4]

Atuação

De volta ao Brasil em 2008, realiza o projeto da Plume Bold Italic juntamente com Fabio Haag e Ron Carpenter para a Dalton Maag. Sentia uma distância grande entre o que vivera na Europa e o que acontecia no Brasil. E em 2009 após refletir bastante sobre o assunto, decide dar aulas a princípio para o curso de extensão em type design no IED.

Novas oportunidades aparecem na área acadêmica - "foi professor dos programas de mestrado e pós-graduação do Istituto Europeo di Design (IED), São Paulo,Instituto de Educação Superior de Brasília (IESB), Faculdade Boa Viagem (FBV), Recife, e Faculdade Ávila, Goiânia"(DIA...,2013)[5]

Entre os anos 2009 e 2010 realiza alguns projetos editoriais, como o relatório de gestão da USP e a coleção dos Diálogos de Platão para Editora da Universidade do Pará.

Já em 2011 coordena o projeto de sinalização para o Grupo EBX.

Em 2012, integrou o grupo responsável pela criação da tipografia para os Jogos Olímpicos. Enquanto parte da equipe Tátil RJ, foi consultor para o projeto de sinalização dos Jogos Olímpicos Rio 2016 e para o desenho da fonte oficial dos Jogos. Seu papel foi ser a ponte entre Equipe de Design do Rio 2016™ e a Dalton Maag Brasil, exercendo uma consultoria técnica em sinalização e orientação em jogos olímpicos.

Entre 2011 e 2013 trabalha como diretor de criação do escritório Dimáquina, mais focado em pesquisa, análise e experiência de uso.

Em 2013 participou como diretor de arte da criação da nova tipografia de texto da revista Veja, junto com os type designers Fernando Mello – que conhecera em Reading – e Eduilson Coan. O projeto contou ainda com a parceria da foundry russa Paratype para o trabalho de hinting e a geração dos arquivos.

Atualmente está como gerente de projeto da proposta da sinalização da Copa do Mundo, conduzido pela ICON em parceria com a Tátil Design e professor de Design de Informação na PUC Rio para o curso de graduação de Design. [6]


Participações de Cursos e Eventos

Docente para o curso Type Design - Istituto Europeo di Design - 2009

Palestrante no Dia tipo 2009 e 2013

Jurado brasileiro da Bienal Latinoamericana de Tipografia, a Bienal de Tipos Latinos 2014

Referências internas

  1. Gustavo Soares. Disponível em: <http://luc.devroye.org/fonts-49679.html> Acesso em 12 abr. 2014.
  2. SOARES, G. Re: Pesquisa para criação de verbete [mensagem pessoal]. Mensagem recebida por ale.vfernandes@mail.com em 19 abr 2014.
  3. IED, Arti Visive São Paulo. PDF Disponível em: <http://www.iedbrasil.com.br/pdf/type_design.pdf>. Acesso em 12 abr. 2014.
  4. FONTES de inpiração. Revista Wide [on line]. Edição 85, Julho/Agosto. 2011. PDF. Disponível em: <http://www.revistawide.com.br/busca/gustavo%20soares/pg/0> Acesso em: 18 abr 2014.
  5. Dia tipo. Disponível em: <http://www.diatipo.com.br/sp/2013/staff/gustavo-soares>. Acesso em: 18 abr. 2014.
  6. SOARES, G. Re: Pesquisa para criação de verbete [mensagem pessoal]. Mensagem recebida por ale.vfernandes@mail.com em 19 abr 2014.